Portnoy não economizou elogios ao baterista do Metallica

Perguntado sobre o que acha das constantes críticas a Lars Ulrich como baterista, Mark Portnoy saiu em defesa de seu colega de profissão:

“Lars sempre deu umas atravessadas, mas sempre foi o cara mais importante do Metallica, mesmo tocando muito pior do que os outros membros da banda e claro, pior do que a maioria dos bateristas”, revelou Mark Portnoy ao FakeMetal.

“Você já viu alguma banda em que o baterista quer aparecer mais que o vocalista? Só no Dream Theater quando eu estava na banda. Lars me inspirou muito nesse sentido. Não importa o quanto você toque, as pessoas só lembram do baterista se ele ficar falando umas bobagens polêmicas de vez em quando, e Lars é um verdadeiro mestre nisso, como fez naquela história do Napster”.

O ex-baterista do Dream Theater prossegue em defesa de Lars:

“E daí que ele dá umas saídas do tempo freqüentemente? Porra! Não existiria Metallica sem ele! Quem você acha que é o líder do Metallica? O James? Você assistiu [o documentário] ‘Some Kind Of Monster’? Que tipo de líder sai batendo as portas depois de dar chilique no estúdio e se interna numa clínica de reabilitação por 11 meses???? No documentário você vê o James chorando, você vê o Kirk chorando, vê o Mustaine chorando… mas o Lars está lá, claramente se segurando pra não gritar ‘PORRA! VIREM HOMENS, SEUS FRANGOS’, tentando fazer o Metallica sobreviver a toda essa afetação”.

“Ele é muito mais que simplesmente o ‘Ringo Starr do Metallica’, mesmo tocando pior a cada ano que passa e tendo o cabelo mais ridículo do Rock, e por isso é um dos meus heróis”, conclui Portnoy, sempre defendendo Lars.

Confira mais notícias sobre: